Inovações, futuro e tecnologia no .Futuro Rio

O .Futuro Rio, conferência sobre os impactos da tecnologia na transformação dos negócios e da sociedade realizou sua segunda edição  nos dias 17 e 18 de maio no Rio de Janeiro

A conferência realizada por Maria Pidner Boucinhas e os franceses Olivier Mourier e Xavier Leclerc (sócios na MOX Digital) reuniu 55 palestrantes para falar sobre um futuro que já se faz presente na vida de todos nós.

Durante os dois dias do evento quatro universos foram reunidos: startups, empresas de tecnologia, empresas em transformação e mundo acadêmico e institucional; e quatro temas foram abordados: Sociedade, Criatividade, Estrutura e Tecnologia.

A cada ano mais interessante, a conferência reuniu pessoas de todos os cantos do Brasil e apresentou degustações tecnológicas como:

  • Robô Yumi – 1 robô colaborativo do mundo: um robô industrial com dois braços articulados capaz de interagir com o ser humano. (O robô fez muito sucesso servindo café à todos que passavam pelo stand da ABB)
  • Maquete com realidade virtual da CASA FIRJAN que será inaugurada este ano em Botafogo (RJ). (Um grande presente para a cidade e empreendedores estabelecidos no Rio. Saiba mais em: https://www.youtube.com/watch?v=iGwafYAxqoE )
  • Projetos de realidade virtual e aumentada da XGB – apresentações de imersões virtuais voltadas para treinamento corporativo e simulação com gamificação e atração de talentos. (Eu testei e achei o máximo a experiência de mergulhar no fundo do mar sem se molhar)
  • Pluginbot – dois robôs – humanoide e chatbot – de interação com o público demonstravam o uso de aplicações de inteligência artificial e tecnologia cognitiva. ( (Super interessantes os robôs especialmente para interação com equipes em outros locais)
  • Oracle – Aplicação de fidelização gameficada usando reconhecimento facial e chatbot – demonstrou tecnologia IoT em vídeo com uma pista monitorada por IoT monitorando acidentes de carro

Abaixo, segue alguns dos pontos altos do evento:

> SOCIEDADE
Quais são as mudanças, especialmente tecnológicas, que favorecem e impõem a inovação aos negócios?
O advento das novas tecnologias acelera o ritmo das transformações e fomenta novos comportamentos e tendências que devem ser identificados a fim de orientar a inovação.

Rodrigo Souto (Hubsopt) falou sobre a “Era da Conveniência”, Marcelo Sales (Movile) abordou “Tecno Darwinismo: Como se adaptar à tecnologia e aos novos hábitos?”; Christine Honoré (Air France-KLM) e Pedro Gravena (MOSH) discutiram sobre “Client-Centric: a nova religião das empresas”

> CRIATIVIDADE
Como as empresas promovem inovação?
A criação de um ambiente com condições propícias à inovação é a chave para desbloquear seu potencial. A inovação proporciona crescimento graças a fortes performances ou disfunções encorajadas pelos avanços da era digital

Fabiano Coura (R/GA) e Saulo Rodrigues (R/GA) falaram sobre “Disputar ou ser disruptado”. Segundo Fabiano ‘toda empresa é criada para depois ser substituída por algo mais inovador. Ele fez uma comparação interessante entre o ciclo de vida de uma pessoa com o ciclo de vida de um produto. Falou também de como a tecnologia tem mudado os grandes negócios no mundo. Em 1940, a idade média das 500 maiores empresas no mundo era 75 anos, hoje, em 2018, a idade média é 15 anos.

Saulo Rodrigues exaltou que a crise de oportunidade que a cidade do Rio de Janeiro vem vivendo é também é uma oportunidade de crescimento para todas as empresas.  Para Saulo, é fundamental colocar o usuário no centro.‘O grande desafio é que grande porcentagem de millenial preferem ir ao dentista do que ir ao banco. É preciso entender qual o sentimento dessa geração’. Segundo Saulo:
1.Tudo começa com um propósito
2.Pensar em usuários, não em targets. Pensar na experiência para se sobressair no mercado
3.Crie para capturar > gerenciar gastos, conquistar, ajudar
4. Construa uma família > invista e desenvolva sua equipe
5. Não crie uma marca, crie uma linguagem.
6. Demonstração, não metáforas

Felipe Novaes, (The Bakery), explicou que inovação na realidade é uma invenção que gera valor. Segundo ele, “se você não está inovando, alguém está”.

Maria Eduarda Cyreno (Procter & Gamble), falou sobre a importância do ROL “return on learning”. Segundo ela, a P&G tem prevalecido no constante aprendizado de sua equipe e não no tão falado ROI “return on investment”. Um dos seus maiores desafios é de que o trabalho que seu time tem desenvolvido hoje dará retorno apenas daqui há 10 anos.  Por fim, revelou que inovar rápido custa menos.

> ESTRUTURA
O que precisa ser verificado antes de inovar?
O controle das problemáticas vinculadas à segurança cibernética, financiamentos ou utilização de dados são pré-requisitos à implementação e execução de soluções inovadoras eficientes.

Gill Giardelli (5 ERA) fez uma palestra fantástica sobre “Pronto para inovar? Tem certeza?”.

b b

b a b j
Francis Berenger
(PUC) revelou que um dos negócios que mais crescem é o de “business education”. Livelong education learning vem se tornando imperativo econômico. Segundo ele, as pessoas decidem aprender algo novo por dois motivos: quando o mundo exige ou quando a pessoa decide mudar (o mundo interno dela exige). “As pessoas não ficam mais 10 anos na mesma empresa. O aprender é um comportamento que deve ser aprendido”. Revelou que estamos vivendo a 4a Revolução Industrial e as 10 habilidades que serão mais requisitadas em 2020 de acordo com o World Economic Forum (Fórum Econômico Mundial)  (vide foto)

Futuro .RioFabio Cassab (Exec) chamou atenção para a importância de se avaliar como cada pessoa, funcionário pode contribuir com o a empresa no futuro.

Gustavo Brito (Reserva) falou sobre a Escola de Rebeldia lançada há 5 meses para treinar funcionários como agentes de transformação, promovendo a curiosidade, a cultura e os valores da Reserva. “Quanto mais tecnologia há no meio, mais humano o processo de educação tem que ser”.(Você pode conferir mais sobre a escola no link abaixo: https://www.escoladerebeldia.com.br

Futuro .Rio

Futuro .RioXavier Leclerc (MOX digital), um dos organizadores do evento, falou sobre dados e a visão de que em 2035 o Brasil será um país desenvolvido. (Sim!!!) “A cada dia temos mais dados para alavancar negócios, inovar e tomar melhores decisões. As fronteiras on e off estão acabando e cada vez mais tudo está interligado. Ano passado, na França o gasto com publicidade na internet superou o da TV. Spotify, Netflix e Amazon usam dados para fazer recomendações aos usuários.  A inteligência artificial e machine learning oferecem a possibilidade de usarmos mais dados e com isso criarmos melhores produtos, serviços”.

> TECNOLOGIA
Quais são as oportunidades criadas pelas novas tecnologias?
A combinação de novas tecnologias traz melhorias que impactam todos os setores econômicos assim como todos os departamentos das empresas. API e inteligência Artificial estão hoje entre as tecnologias mais relevantes.

f ff f 2Leandro Esposito (Waze) falou sobre o uso da tecnologia para inovar e explicou que o primeiro modelo de negócio da startup era baseado em vender dados de trânsito real. Hoje, o modelo de negócio do Waze está baseado em publicidade num formato menos intrusivo. Falou também da importância de se criar um propósito para a empresa, para ele, é importante pensar o que faz as pessoas sairem de casa, irem trabalhar. O propósito do Waze é acabar com o trânsito.

Futuro .RioAlex Winetzki (Stefanini) falou que com o aumento da tecnologia as pessoas começaram a sair menos com os amigos, a namorar menos e com isso se sentem mais sozinhas; as relações emocionais diminuíram e em contrapartida houve um aumento da taxa de depressão. Ele também se mostrou pessimista assim como Elon Musk e Bill Gates sobre o futuro da Inteligência Artificial. Segundo ele, o perigo está no fato da raça humana não ser benigna.

Lindalia Junqueira (Ions Innovation) liderou o painel “Inovar frente aos gigantes da inovação” com Karin Breitman (Rio Tinto), Marcelo Sampaio (Hashdex) e Victor Chaves (Rio analytics)

 

 

Futuro .Rio
Fabio Scopeta (Microsoft) demonstrou que todo mundo pode usar IA (inteligência Artificial)

 

 

 

 

 

 

 

 

f d
Melinda Yasuda (Pluginbot) mostrou robôs interagindo com humanos

 

foto a
André Micelli (FGV Rio) falou sobre o uso de blockchain, um gerenciador de confiança  que ameaçará Uber, Airbnb e o mercado financeiro

 

 

 

 

 

Ao final desses dois dias de evento, ficaram algumas certezas:

  • O futuro virou presente
  • Inovação é a palavra de ordem: inovar ou morrer, já não há outra escolha
  • Aprendizado/ atualização, mais do que nunca deve ser uma constante
  • O Rio (o Brasil) precisa de mais empreendedores como Xavier Leclerc e Olivier Mourier que mesmo sendo estrangeiros e apesar da crise que vivemos acreditam e investem na cidade, no país. Se concentram em olhar o que há de positivo e têm a certeza que dias melhores virão pois depois de toda nuvem, o sol volta a surgir.

Ano que vem o Futuro .Rio já tem tema e data para acontecer: “A Humanidade Aumentada” acontece em Maio de 2019.

Abraços e Até lá!
Daniella Meirelles, Editora  e fundadora/ GetYuppy
Gabriela Gasperi, Jornalista

Ps: Aproveito para convidar todos que querem contribuir com a cidade do Rio a fazerem parte do Juntos pelo. Rio, organização que já reune mais de 600 empreendedores e líderes empresarias apaixonados pelo Rio de Janeiro, unidos pela colaboração, inovação e tecnologia. TUDO isso JUNTO pelo Rio. Se inscreva em: https://juntospelo.rio  e também faça parte!

FavoriteLoadingMarcar como Favorito
Compartilhe nas redes!Share on Facebook
Facebook
Share on Google+
Google+
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Seja bem-vindo!

UA-77258271-1
%d blogueiros gostam disto: